BitcoinDark price today, BTCD marketcap, chart, and info ...

Politics Of Crypto Currencies

Post Your Interesting Articles on Crypto Currencies and Decentralized Finance such as Bitcoin, Ethereum, Altcoins.
[link]

Jobs4Darkcoins

A place to post jobs for payment in Darkcoin, or offer your services for Darkcoin.
[link]

Doge For The Poor

Be nice, have fun with tips, and enjoy!
[link]

FLASHBACK: Top 10 cryptos of Jan 2016: Dogecoin, ripple, bitcoin, darkcoin, primecoin, namecoin, mastercoin, peercoin, stellar & Litecoin

FLASHBACK: Top 10 cryptos of Jan 2016: Dogecoin, ripple, bitcoin, darkcoin, primecoin, namecoin, mastercoin, peercoin, stellar & Litecoin submitted by FMTY to CryptoCurrency [link] [comments]

Bitcoin, Darkcoin, The Singularity

Bitcoin, Darkcoin, The Singularity submitted by leebanfield to Bitcoin [link] [comments]

Google is building 180 satellites to spread internet access worldwide [r/worldnews by u/Bitcoin_Darkcoin]

Google is building 180 satellites to spread internet access worldwide [worldnews by u/Bitcoin_Darkcoin] submitted by topredditbot to topofreddit [link] [comments]

http://deathrowdemocracy.com entering post! Still time to vote for favorite crypto! #bitcoin #darkcoin #litecoin #dogecoin

http://deathrowdemocracy.com entering post! Still time to vote for favorite crypto! #bitcoin #darkcoin #litecoin #dogecoin submitted by christianblaze to deathrowdemocracy [link] [comments]

http://deathrowdemocracy.com entering post! Still time to vote for favorite crypto! #bitcoin #darkcoin #litecoin #dogecoin

http://deathrowdemocracy.com entering post! Still time to vote for favorite crypto! #bitcoin #darkcoin #litecoin #dogecoin submitted by christianblaze to dogecoin [link] [comments]

http://deathrowdemocracy.com entering post! Still time to vote for favorite crypto! #bitcoin #darkcoin #litecoin #dogecoin

http://deathrowdemocracy.com entering post! Still time to vote for favorite crypto! #bitcoin #darkcoin #litecoin #dogecoin submitted by christianblaze to DRKCoin [link] [comments]

PSA: Don't fall for Darkcoin's deceiving marketing and pump and dump. It's just a copy of CoinJoin (created by a Bitcoin core dev, for Bitcoin), and does not give perfect anonymity.

The whole point of CoinJoin is that even though it doesn't guarantee perfect anonymity, it comes in handy because it can be used on top of Bitcoin (eg: Bitcoin's Dark Wallet), no need to modify the core nor create a new coin.
So this is my prediction for the possible finales for Darkcoin:
Edit: Commentators informed me that Darkcoin is closed source. Wtf, really? I'll take doge over DRK any day if I have to choose.
Edit2: Darkcoiners are claiming that it is open source because they have a Github link. Yes, we can see a basic clone in there, but it doesn't have its main feature, the coin mixing with CoinJoin (which they renamed into DarkSend for no reason), which remains closed source as explained here.
Edit3: Apparently it was also insta-mined.
Edit4: Coins that give better anonymity than Darkcoin: All the coins that use the Cryptonote technology.
submitted by BigMoneyGuy to Bitcoin [link] [comments]

Contra-economia

Contra-Economia é um termo originalmente utilizado por Samuel Edward Konkin III e Neil J. Schulman, ativistas teóricos libertários. Konkin definiu a contra-economia como “o estudo e/ou prática de toda ação humana pacífica que é proibida pelo Estado.” A contra-economia foi integrada na prática agorista de Konkin, para formar o Agorismo uma variante revolucionária do anarquismo de mercado.
Bob Dylan têm uma música que diz: “…para viver fora da lei você precisa ser honesto”, e esta é a essência da contra economia, os contra-economistas podem fazer coisas tecnicamente “incorretas”, talvez não legalmente corretas, mas estão fazendo isso por um propósito individual que em sua concepção é ético.
O conceito de contra-economia também é usado em um sentido distinto, mas indiscutivelmente compatível em referir-se ao abordar a justiça social e a questão da sustentabilidade em um contexto de mercado, apesar de ser um modo mais geral de Anti-establishment, em vez de explicitamente ilegal.
Em ambos os sentidos, pode-se incluir formas não-monetárias de troca, como uma economia de escambo, ou uma economia da dádiva, e o uso de moedas não reguladas como bitcurrency (litecoin, bitcoin, darkcoin etc..), ouro e prata.
As primeiras apresentações da teoria da contra-economia foram feitas por Samuel Konkin III em duas conferências organizadas por J. Neil Schulman, CounterCon I em 1974 e CounterCon II em 1975, ambas realizadas em Cheshire, Connecticut. Outros oradores nestas conferências inclúem Robert LeFevre, Kenneth Kalcheim e Dennis Turner.
O primeiro livro a retratar a contra-economia como uma estratégia para se alcançar uma sociedade libertária foi Alongside Night de Schulman, publicado em 1979.
O agorismo de Konkin, como exposto em seu Novo Manifesto Libertário , postula que o método correto para alcançar uma sociedade anarquista de livre-mercado é através da advocacia e do crescimento da economia subterrânea, ou “mercado negro” — a “contra-economia” como coloca Konkin — até o ponto em que percebe-se que o Estado como autoridade moral e poder total foi tão profundamente minado que a revolução anarquista de mercado e as empresas de segurança podem surgir do subsolo e, finalmente, suprimir governo como uma atividade criminal (com a tributação sendo tratada como roubo, e guerra sendo tratada como genocídio, etc).
“A Contra-Economia é a soma de toda a ação humana não-agressiva que é proibida pelo Estado. […] A Contra-Economia inclui o mercado livre, o mercado negro, a “economia subterrânea”, todos os atos de desobediência civil e social, todos os atos de associações proibidas (sexual, racial, inter-religioso), e todo os resto que o Estado, em qualquer lugar ou tempo, opta por proibir, controlar, regular, tributar, ou tarifar. A Contra-Economia exclui toda a ação aprovada pelo Estado (o “Mercado Branco”) e o Mercado Vermelho (violência e roubo não aprovados pelo Estado).”
A contra-economia também admite a libertação imediata do controle estatal, em qualquer nível prático, mediante a aplicação da lógica empresarial para decidir racionalmente quais as leis que discretamente quebra e quando o faz. O princípio fundamental é o comércio de risco para o lucro, embora “lucro” possa se referir a qualquer ganho de valor percebido, não só ganhos estritamente monetários (como uma conseqüência da teoria do valor subjetivo).
Das práticas de contra-economia incluem-se:
1- Evasão Fiscal;
2- Contrabando;
3- Tráfico de drogas;
4- Agricultura urbana/subsistência;
5- Contratar ou ser contratado com condições e salários dignos imigrantes ilegais;
6- Trocas e uso de moedas alternativas;
7- Tráfico de armas;
Mercado Negro…Cinza e vermelho:
O Agorismo se baseia na prática consciente da contra-economia e uso de mercados negros, portanto e necessário pontuar o que é um mercado negro e o que significa a prática consciente do mesmo.
Mercado Negro:
O Mercado Negro é a parte da economia ativa que envolve transações ilegais, geralmente de compra e venda de mercadorias ou serviços. As mercadorias podem ser por si próprias ilegais (por exemplo armas ou drogas); a mercadoria pode ser roubada; ou pode ser vendida de outra maneira para evitar impostos, pagamentos ou exigências, tais como cigarros ou armas de fogo. É chamado de “economia negra” ou o “mercado negro” porque são conduzidos fora da lei, e assim são conduzidos necessariamente “na obscuridade”, fora da vista do estado regulador. Os mercados negros aparecem quando o Estado coloca limitações na produção ou na provisão dos bens e dos serviços e prosperam quando as limitações do estado são pesadas, como durante um período de proibição, controle de preços ou racionamento, o mercado negro surge para suprir demandas proibidas legalmente pelo estado.
A prática consciente Agorista visa apenas as práticas do Mercado Negro pacificas que não envolva violação de autonomia ou inicio de uma agressão a terceiros e envolvidos direta ou indiretamente, no entanto de uma forma geral o Mercado Negro engloba os mercados cinza e vermelhos que nem sempre estão de acordo com a prática agorista.
Mercado cinza:
Um mercado cinza, ou mercado paralelo, é o comércio de uma mercadoria por meio de canais de distribuição que, embora legais , são não-oficiais , não autorizados, ou não intencionais pelo fabricante original . O tipo mais comum de mercado cinza é a venda de bens importados (trazido por pequenas empresas de importação ou pessoas não autorizadas pelo fabricante) que de outra forma seria mais caro do país estão sendo importados legal com a cobrança de impostos. Um exemplo são drogas que estão sendo importados para as nações mais ricas nas proximidades onde o distribuidor local da droga cobra um preço mais elevado por um produto similar ou equivalente.
Mercados cinzas podem também ser descritos como o comércios de produtos legais obtidos de formas ilegais como por exemplo a venda ou contrabando de obras de artes extraviadas ou produzidas e distribuídas sem a cobrança de tributos.
No entanto o surgimento do termo refere-se aos trabalhadores que são pagos “por baixo dos panos”, sem recolher imposto de renda ou contribuição para tais serviços públicos. É por vezes referido como a economia subterrânea ou “economia paralela”.
Os dois principais tipos de mercados de cinza são as de produtos manufaturados importados que normalmente seriam indisponíveis ou mais caro em um determinado país e ações não emitidos que ainda não são negociados em mercados oficiais. Às vezes, o termo mercado negro é usado para descrever a negociação secreta e não regulamentado (embora muitas vezes tecnicamente legal) de futuros de commodities, como aconteceu com o petróleo bruto em 2008. Isso pode ser considerado um terceiro tipo de “mercado cinza” , uma vez que é legal, mas não regulamentado, e provavelmente não intencional ou explicitamente autorizada pelos produtores de petróleo.
Mercados Cinzas são amplamente descritos e estimulados pelo Agorismo, embora muitas de suas atividades sejam consideradas crime em grande parte do mundo.
Venda de produtos em camelos não regulados pelo estado, ou sem licença são considerados práticas de mercados cinzas e são vistas pelos Agoristas como práticas legitimas em um livre-mercado.
Mercado Vermelho:
Mercados vermelhos são a práticas ilegais que por vezes podem significar serviços que violam a autonomia de uma pessoa ou significam iniciar agressões contra terceiros, os serviços de assassinatos são uma exemplo de mercado vermelho, Agoristas não praticam e se afastam de práticas como esta vendo-as como prática que foje do principio de prática consciente da contra-economia atravez de mercados negros, no entanto não são todos as práticas “vermelhas” que são vistas com aversão por Agoristas, a venda voluntária de orgãos por exemplo, uma vez que uma pessoa escolhe remover e vender voluntariamente orgãos ou até mesmo leite materno para suprir necessidades de outras pessoas não devem ser impedidas, deve ficar atento que venda voluntária de orgãos se dá pela escolha consciente do portador do orgão, o que é bem diferente do roubo ou tráfico de orgãos na qual o paciente é involuntariamente sedado e tem o orgão removido contra sua vontade, resume-se então que práticas vermelhas que envolvem coerção ou violência de qualquer espécie contra outras pessoas é repudiada por agoristas por não ser uma prática consciente da contra-economia e práticas vermelhas pacificas e voluntárias que beneficiara as duas partes ou o receptor mantendo o voluntário indiferente são bem-vindas pelo agorismo.
submitted by O-Pensador to CriptoLibertarios [link] [comments]

Contra-Economia

Contra-Economia é um termo originalmente utilizado por Samuel Edward Konkin III e Neil J. Schulman, ativistas teóricos libertários. Konkin definiu a contra-economia como “o estudo e/ou prática de toda ação humana pacífica que é proibida pelo Estado.” A contra-economia foi integrada na prática agorista de Konkin, para formar o Agorismo uma variante revolucionária do anarquismo de mercado.
Bob Dylan têm uma música que diz: “…para viver fora da lei você precisa ser honesto”, e esta é a essência da contra economia, os contra-economistas podem fazer coisas tecnicamente “incorretas”, talvez não legalmente corretas, mas estão fazendo isso por um propósito individual que em sua concepção é ético.
O conceito de contra-economia também é usado em um sentido distinto, mas indiscutivelmente compatível em referir-se ao abordar a justiça social e a questão da sustentabilidade em um contexto de mercado, apesar de ser um modo mais geral de Anti-establishment, em vez de explicitamente ilegal.
Em ambos os sentidos, pode-se incluir formas não-monetárias de troca, como uma economia de escambo, ou uma economia da dádiva, e o uso de moedas não reguladas como bitcurrency (litecoin, bitcoin, darkcoin etc..), ouro e prata.
As primeiras apresentações da teoria da contra-economia foram feitas por Samuel Konkin III em duas conferências organizadas por J. Neil Schulman, CounterCon I em 1974 e CounterCon II em 1975, ambas realizadas em Cheshire, Connecticut. Outros oradores nestas conferências inclúem Robert LeFevre, Kenneth Kalcheim e Dennis Turner.
O primeiro livro a retratar a contra-economia como uma estratégia para se alcançar uma sociedade libertária foi Alongside Night de Schulman, publicado em 1979.
O agorismo de Konkin, como exposto em seu Novo Manifesto Libertário , postula que o método correto para alcançar uma sociedade anarquista de livre-mercado é através da advocacia e do crescimento da economia subterrânea, ou “mercado negro” — a “contra-economia” como coloca Konkin — até o ponto em que percebe-se que o Estado como autoridade moral e poder total foi tão profundamente minado que a revolução anarquista de mercado e as empresas de segurança podem surgir do subsolo e, finalmente, suprimir governo como uma atividade criminal (com a tributação sendo tratada como roubo, e guerra sendo tratada como genocídio, etc).
“A Contra-Economia é a soma de toda a ação humana não-agressiva que é proibida pelo Estado. […] A Contra-Economia inclui o mercado livre, o mercado negro, a “economia subterrânea”, todos os atos de desobediência civil e social, todos os atos de associações proibidas (sexual, racial, inter-religioso), e todo os resto que o Estado, em qualquer lugar ou tempo, opta por proibir, controlar, regular, tributar, ou tarifar. A Contra-Economia exclui toda a ação aprovada pelo Estado (o “Mercado Branco”) e o Mercado Vermelho (violência e roubo não aprovados pelo Estado).”
A contra-economia também admite a libertação imediata do controle estatal, em qualquer nível prático, mediante a aplicação da lógica empresarial para decidir racionalmente quais as leis que discretamente quebra e quando o faz. O princípio fundamental é o comércio de risco para o lucro, embora “lucro” possa se referir a qualquer ganho de valor percebido, não só ganhos estritamente monetários (como uma conseqüência da teoria do valor subjetivo).
Das práticas de contra-economia incluem-se:
1- Evasão Fiscal;
2- Contrabando;
3- Tráfico de drogas;
4- Agricultura urbana/subsistência;
5- Contratar ou ser contratado com condições e salários dignos imigrantes ilegais;
6- Trocas e uso de moedas alternativas;
7- Tráfico de armas;
Mercado Negro…Cinza e vermelho:
O Agorismo se baseia na prática consciente da contra-economia e uso de mercados negros, portanto e necessário pontuar o que é um mercado negro e o que significa a prática consciente do mesmo.
Mercado Negro:
O Mercado Negro é a parte da economia ativa que envolve transações ilegais, geralmente de compra e venda de mercadorias ou serviços. As mercadorias podem ser por si próprias ilegais (por exemplo armas ou drogas); a mercadoria pode ser roubada; ou pode ser vendida de outra maneira para evitar impostos, pagamentos ou exigências, tais como cigarros ou armas de fogo. É chamado de “economia negra” ou o “mercado negro” porque são conduzidos fora da lei, e assim são conduzidos necessariamente “na obscuridade”, fora da vista do estado regulador. Os mercados negros aparecem quando o Estado coloca limitações na produção ou na provisão dos bens e dos serviços e prosperam quando as limitações do estado são pesadas, como durante um período de proibição, controle de preços ou racionamento, o mercado negro surge para suprir demandas proibidas legalmente pelo estado.
A prática consciente Agorista visa apenas as práticas do Mercado Negro pacificas que não envolva violação de autonomia ou inicio de uma agressão a terceiros e envolvidos direta ou indiretamente, no entanto de uma forma geral o Mercado Negro engloba os mercados cinza e vermelhos que nem sempre estão de acordo com a prática agorista.
Mercado cinza:
Um mercado cinza, ou mercado paralelo, é o comércio de uma mercadoria por meio de canais de distribuição que, embora legais , são não-oficiais , não autorizados, ou não intencionais pelo fabricante original . O tipo mais comum de mercado cinza é a venda de bens importados (trazido por pequenas empresas de importação ou pessoas não autorizadas pelo fabricante) que de outra forma seria mais caro do país estão sendo importados legal com a cobrança de impostos. Um exemplo são drogas que estão sendo importados para as nações mais ricas nas proximidades onde o distribuidor local da droga cobra um preço mais elevado por um produto similar ou equivalente.
Mercados cinzas podem também ser descritos como o comércios de produtos legais obtidos de formas ilegais como por exemplo a venda ou contrabando de obras de artes extraviadas ou produzidas e distribuídas sem a cobrança de tributos.
No entanto o surgimento do termo refere-se aos trabalhadores que são pagos “por baixo dos panos”, sem recolher imposto de renda ou contribuição para tais serviços públicos. É por vezes referido como a economia subterrânea ou “economia paralela”.
Os dois principais tipos de mercados de cinza são as de produtos manufaturados importados que normalmente seriam indisponíveis ou mais caro em um determinado país e ações não emitidos que ainda não são negociados em mercados oficiais. Às vezes, o termo mercado negro é usado para descrever a negociação secreta e não regulamentado (embora muitas vezes tecnicamente legal) de futuros de commodities, como aconteceu com o petróleo bruto em 2008. Isso pode ser considerado um terceiro tipo de “mercado cinza” , uma vez que é legal, mas não regulamentado, e provavelmente não intencional ou explicitamente autorizada pelos produtores de petróleo.
Mercados Cinzas são amplamente descritos e estimulados pelo Agorismo, embora muitas de suas atividades sejam consideradas crime em grande parte do mundo.
Venda de produtos em camelos não regulados pelo estado, ou sem licença são considerados práticas de mercados cinzas e são vistas pelos Agoristas como práticas legitimas em um livre-mercado.
Mercado Vermelho:
Mercados vermelhos são a práticas ilegais que por vezes podem significar serviços que violam a autonomia de uma pessoa ou significam iniciar agressões contra terceiros, os serviços de assassinatos são uma exemplo de mercado vermelho, Agoristas não praticam e se afastam de práticas como esta vendo-as como prática que foje do principio de prática consciente da contra-economia atravez de mercados negros, no entanto não são todos as práticas “vermelhas” que são vistas com aversão por Agoristas, a venda voluntária de orgãos por exemplo, uma vez que uma pessoa escolhe remover e vender voluntariamente orgãos ou até mesmo leite materno para suprir necessidades de outras pessoas não devem ser impedidas, deve ficar atento que venda voluntária de orgãos se dá pela escolha consciente do portador do orgão, o que é bem diferente do roubo ou tráfico de orgãos na qual o paciente é involuntariamente sedado e tem o orgão removido contra sua vontade, resume-se então que práticas vermelhas que envolvem coerção ou violência de qualquer espécie contra outras pessoas é repudiada por agoristas por não ser uma prática consciente da contra-economia e práticas vermelhas pacificas e voluntárias que beneficiara as duas partes ou o receptor mantendo o voluntário indiferente são bem-vindas pelo agorismo.
submitted by O-Pensador to Libertarianismo [link] [comments]

Contra-Economia

Contra-Economia é um termo originalmente utilizado por Samuel Edward Konkin III e Neil J. Schulman, ativistas teóricos libertários. Konkin definiu a contra-economia como “o estudo e/ou prática de toda ação humana pacífica que é proibida pelo Estado.” A contra-economia foi integrada na prática agorista de Konkin, para formar o Agorismo uma variante revolucionária do anarquismo de mercado.
Bob Dylan têm uma música que diz: “…para viver fora da lei você precisa ser honesto”, e esta é a essência da contra economia, os contra-economistas podem fazer coisas tecnicamente “incorretas”, talvez não legalmente corretas, mas estão fazendo isso por um propósito individual que em sua concepção é ético.
O conceito de contra-economia também é usado em um sentido distinto, mas indiscutivelmente compatível em referir-se ao abordar a justiça social e a questão da sustentabilidade em um contexto de mercado, apesar de ser um modo mais geral de Anti-establishment, em vez de explicitamente ilegal.
Em ambos os sentidos, pode-se incluir formas não-monetárias de troca, como uma economia de escambo, ou uma economia da dádiva, e o uso de moedas não reguladas como bitcurrency (litecoin, bitcoin, darkcoin etc..), ouro e prata.
As primeiras apresentações da teoria da contra-economia foram feitas por Samuel Konkin III em duas conferências organizadas por J. Neil Schulman, CounterCon I em 1974 e CounterCon II em 1975, ambas realizadas em Cheshire, Connecticut. Outros oradores nestas conferências inclúem Robert LeFevre, Kenneth Kalcheim e Dennis Turner.
O primeiro livro a retratar a contra-economia como uma estratégia para se alcançar uma sociedade libertária foi Alongside Night de Schulman, publicado em 1979.
O agorismo de Konkin, como exposto em seu Novo Manifesto Libertário , postula que o método correto para alcançar uma sociedade anarquista de livre-mercado é através da advocacia e do crescimento da economia subterrânea, ou “mercado negro” — a “contra-economia” como coloca Konkin — até o ponto em que percebe-se que o Estado como autoridade moral e poder total foi tão profundamente minado que a revolução anarquista de mercado e as empresas de segurança podem surgir do subsolo e, finalmente, suprimir governo como uma atividade criminal (com a tributação sendo tratada como roubo, e guerra sendo tratada como genocídio, etc).
“A Contra-Economia é a soma de toda a ação humana não-agressiva que é proibida pelo Estado. […] A Contra-Economia inclui o mercado livre, o mercado negro, a “economia subterrânea”, todos os atos de desobediência civil e social, todos os atos de associações proibidas (sexual, racial, inter-religioso), e todo os resto que o Estado, em qualquer lugar ou tempo, opta por proibir, controlar, regular, tributar, ou tarifar. A Contra-Economia exclui toda a ação aprovada pelo Estado (o “Mercado Branco”) e o Mercado Vermelho (violência e roubo não aprovados pelo Estado).”
A contra-economia também admite a libertação imediata do controle estatal, em qualquer nível prático, mediante a aplicação da lógica empresarial para decidir racionalmente quais as leis que discretamente quebra e quando o faz. O princípio fundamental é o comércio de risco para o lucro, embora “lucro” possa se referir a qualquer ganho de valor percebido, não só ganhos estritamente monetários (como uma conseqüência da teoria do valor subjetivo).
Das práticas de contra-economia incluem-se:
1- Evasão Fiscal;
2- Contrabando;
3- Tráfico de drogas;
4- Agricultura urbana/subsistência;
5- Contratar ou ser contratado com condições e salários dignos imigrantes ilegais;
6- Trocas e uso de moedas alternativas;
7- Tráfico de armas;
Mercado Negro…Cinza e vermelho:
O Agorismo se baseia na prática consciente da contra-economia e uso de mercados negros, portanto e necessário pontuar o que é um mercado negro e o que significa a prática consciente do mesmo.
Mercado Negro:
O Mercado Negro é a parte da economia ativa que envolve transações ilegais, geralmente de compra e venda de mercadorias ou serviços. As mercadorias podem ser por si próprias ilegais (por exemplo armas ou drogas); a mercadoria pode ser roubada; ou pode ser vendida de outra maneira para evitar impostos, pagamentos ou exigências, tais como cigarros ou armas de fogo. É chamado de “economia negra” ou o “mercado negro” porque são conduzidos fora da lei, e assim são conduzidos necessariamente “na obscuridade”, fora da vista do estado regulador. Os mercados negros aparecem quando o Estado coloca limitações na produção ou na provisão dos bens e dos serviços e prosperam quando as limitações do estado são pesadas, como durante um período de proibição, controle de preços ou racionamento, o mercado negro surge para suprir demandas proibidas legalmente pelo estado.
A prática consciente Agorista visa apenas as práticas do Mercado Negro pacificas que não envolva violação de autonomia ou inicio de uma agressão a terceiros e envolvidos direta ou indiretamente, no entanto de uma forma geral o Mercado Negro engloba os mercados cinza e vermelhos que nem sempre estão de acordo com a prática agorista.
Mercado cinza:
Um mercado cinza, ou mercado paralelo, é o comércio de uma mercadoria por meio de canais de distribuição que, embora legais , são não-oficiais , não autorizados, ou não intencionais pelo fabricante original . O tipo mais comum de mercado cinza é a venda de bens importados (trazido por pequenas empresas de importação ou pessoas não autorizadas pelo fabricante) que de outra forma seria mais caro do país estão sendo importados legal com a cobrança de impostos. Um exemplo são drogas que estão sendo importados para as nações mais ricas nas proximidades onde o distribuidor local da droga cobra um preço mais elevado por um produto similar ou equivalente.
Mercados cinzas podem também ser descritos como o comércios de produtos legais obtidos de formas ilegais como por exemplo a venda ou contrabando de obras de artes extraviadas ou produzidas e distribuídas sem a cobrança de tributos.
No entanto o surgimento do termo refere-se aos trabalhadores que são pagos “por baixo dos panos”, sem recolher imposto de renda ou contribuição para tais serviços públicos. É por vezes referido como a economia subterrânea ou “economia paralela”.
Os dois principais tipos de mercados de cinza são as de produtos manufaturados importados que normalmente seriam indisponíveis ou mais caro em um determinado país e ações não emitidos que ainda não são negociados em mercados oficiais. Às vezes, o termo mercado negro é usado para descrever a negociação secreta e não regulamentado (embora muitas vezes tecnicamente legal) de futuros de commodities, como aconteceu com o petróleo bruto em 2008. Isso pode ser considerado um terceiro tipo de “mercado cinza” , uma vez que é legal, mas não regulamentado, e provavelmente não intencional ou explicitamente autorizada pelos produtores de petróleo.
Mercados Cinzas são amplamente descritos e estimulados pelo Agorismo, embora muitas de suas atividades sejam consideradas crime em grande parte do mundo.
Venda de produtos em camelos não regulados pelo estado, ou sem licença são considerados práticas de mercados cinzas e são vistas pelos Agoristas como práticas legitimas em um livre-mercado.
Mercado Vermelho:
Mercados vermelhos são a práticas ilegais que por vezes podem significar serviços que violam a autonomia de uma pessoa ou significam iniciar agressões contra terceiros, os serviços de assassinatos são uma exemplo de mercado vermelho, Agoristas não praticam e se afastam de práticas como esta vendo-as como prática que foje do principio de prática consciente da contra-economia atravez de mercados negros, no entanto não são todos as práticas “vermelhas” que são vistas com aversão por Agoristas, a venda voluntária de orgãos por exemplo, uma vez que uma pessoa escolhe remover e vender voluntariamente orgãos ou até mesmo leite materno para suprir necessidades de outras pessoas não devem ser impedidas, deve ficar atento que venda voluntária de orgãos se dá pela escolha consciente do portador do orgão, o que é bem diferente do roubo ou tráfico de orgãos na qual o paciente é involuntariamente sedado e tem o orgão removido contra sua vontade, resume-se então que práticas vermelhas que envolvem coerção ou violência de qualquer espécie contra outras pessoas é repudiada por agoristas por não ser uma prática consciente da contra-economia e práticas vermelhas pacificas e voluntárias que beneficiara as duas partes ou o receptor mantendo o voluntário indiferente são bem-vindas pelo agorismo.
submitted by O-Pensador to PoliticaMundial [link] [comments]

Is the Reddcoin Tipbot still active?

Hi, former moderator here that used to help out about 3 years ago or so, I was randomly thinking about tipbots and remembered I used to use the bitcoin, darkcoin, reddcoin one. Would be a nice surprise to see it still active as I probably have a few million Redd on it.
submitted by Acidyo to reddCoin [link] [comments]

Contra-Economia

Contra-Economia é um termo originalmente utilizado por Samuel Edward Konkin III e Neil J. Schulman, ativistas teóricos libertários. Konkin definiu a contra-economia como “o estudo e/ou prática de toda ação humana pacífica que é proibida pelo Estado.” A contra-economia foi integrada na prática agorista de Konkin, para formar o Agorismo uma variante revolucionária do anarquismo de mercado.
Bob Dylan têm uma música que diz: “…para viver fora da lei você precisa ser honesto”, e esta é a essência da contra economia, os contra-economistas podem fazer coisas tecnicamente “incorretas”, talvez não legalmente corretas, mas estão fazendo isso por um propósito individual que em sua concepção é ético.
O conceito de contra-economia também é usado em um sentido distinto, mas indiscutivelmente compatível em referir-se ao abordar a justiça social e a questão da sustentabilidade em um contexto de mercado, apesar de ser um modo mais geral de Anti-establishment, em vez de explicitamente ilegal.
Em ambos os sentidos, pode-se incluir formas não-monetárias de troca, como uma economia de escambo, ou uma economia da dádiva, e o uso de moedas não reguladas como bitcurrency (litecoin, bitcoin, darkcoin etc..), ouro e prata.
As primeiras apresentações da teoria da contra-economia foram feitas por Samuel Konkin III em duas conferências organizadas por J. Neil Schulman, CounterCon I em 1974 e CounterCon II em 1975, ambas realizadas em Cheshire, Connecticut. Outros oradores nestas conferências inclúem Robert LeFevre, Kenneth Kalcheim e Dennis Turner.
O primeiro livro a retratar a contra-economia como uma estratégia para se alcançar uma sociedade libertária foi Alongside Night de Schulman, publicado em 1979.
O agorismo de Konkin, como exposto em seu Novo Manifesto Libertário , postula que o método correto para alcançar uma sociedade anarquista de livre-mercado é através da advocacia e do crescimento da economia subterrânea, ou “mercado negro” — a “contra-economia” como coloca Konkin — até o ponto em que percebe-se que o Estado como autoridade moral e poder total foi tão profundamente minado que a revolução anarquista de mercado e as empresas de segurança podem surgir do subsolo e, finalmente, suprimir governo como uma atividade criminal (com a tributação sendo tratada como roubo, e guerra sendo tratada como genocídio, etc).
“A Contra-Economia é a soma de toda a ação humana não-agressiva que é proibida pelo Estado. […] A Contra-Economia inclui o mercado livre, o mercado negro, a “economia subterrânea”, todos os atos de desobediência civil e social, todos os atos de associações proibidas (sexual, racial, inter-religioso), e todo os resto que o Estado, em qualquer lugar ou tempo, opta por proibir, controlar, regular, tributar, ou tarifar. A Contra-Economia exclui toda a ação aprovada pelo Estado (o “Mercado Branco”) e o Mercado Vermelho (violência e roubo não aprovados pelo Estado).”
A contra-economia também admite a libertação imediata do controle estatal, em qualquer nível prático, mediante a aplicação da lógica empresarial para decidir racionalmente quais as leis que discretamente quebra e quando o faz. O princípio fundamental é o comércio de risco para o lucro, embora “lucro” possa se referir a qualquer ganho de valor percebido, não só ganhos estritamente monetários (como uma conseqüência da teoria do valor subjetivo).
Das práticas de contra-economia incluem-se:
1- Evasão Fiscal;
2- Contrabando;
3- Tráfico de drogas;
4- Agricultura urbana/subsistência;
5- Contratar ou ser contratado com condições e salários dignos imigrantes ilegais;
6- Trocas e uso de moedas alternativas;
7- Tráfico de armas;
Mercado Negro…Cinza e vermelho:
O Agorismo se baseia na prática consciente da contra-economia e uso de mercados negros, portanto e necessário pontuar o que é um mercado negro e o que significa a prática consciente do mesmo.
Mercado Negro:
O Mercado Negro é a parte da economia ativa que envolve transações ilegais, geralmente de compra e venda de mercadorias ou serviços. As mercadorias podem ser por si próprias ilegais (por exemplo armas ou drogas); a mercadoria pode ser roubada; ou pode ser vendida de outra maneira para evitar impostos, pagamentos ou exigências, tais como cigarros ou armas de fogo. É chamado de “economia negra” ou o “mercado negro” porque são conduzidos fora da lei, e assim são conduzidos necessariamente “na obscuridade”, fora da vista do estado regulador. Os mercados negros aparecem quando o Estado coloca limitações na produção ou na provisão dos bens e dos serviços e prosperam quando as limitações do estado são pesadas, como durante um período de proibição, controle de preços ou racionamento, o mercado negro surge para suprir demandas proibidas legalmente pelo estado.
A prática consciente Agorista visa apenas as práticas do Mercado Negro pacificas que não envolva violação de autonomia ou inicio de uma agressão a terceiros e envolvidos direta ou indiretamente, no entanto de uma forma geral o Mercado Negro engloba os mercados cinza e vermelhos que nem sempre estão de acordo com a prática agorista.
Mercado cinza:
Um mercado cinza, ou mercado paralelo, é o comércio de uma mercadoria por meio de canais de distribuição que, embora legais , são não-oficiais , não autorizados, ou não intencionais pelo fabricante original . O tipo mais comum de mercado cinza é a venda de bens importados (trazido por pequenas empresas de importação ou pessoas não autorizadas pelo fabricante) que de outra forma seria mais caro do país estão sendo importados legal com a cobrança de impostos. Um exemplo são drogas que estão sendo importados para as nações mais ricas nas proximidades onde o distribuidor local da droga cobra um preço mais elevado por um produto similar ou equivalente.
Mercados cinzas podem também ser descritos como o comércios de produtos legais obtidos de formas ilegais como por exemplo a venda ou contrabando de obras de artes extraviadas ou produzidas e distribuídas sem a cobrança de tributos.
No entanto o surgimento do termo refere-se aos trabalhadores que são pagos “por baixo dos panos”, sem recolher imposto de renda ou contribuição para tais serviços públicos. É por vezes referido como a economia subterrânea ou “economia paralela”.
Os dois principais tipos de mercados de cinza são as de produtos manufaturados importados que normalmente seriam indisponíveis ou mais caro em um determinado país e ações não emitidos que ainda não são negociados em mercados oficiais. Às vezes, o termo mercado negro é usado para descrever a negociação secreta e não regulamentado (embora muitas vezes tecnicamente legal) de futuros de commodities, como aconteceu com o petróleo bruto em 2008. Isso pode ser considerado um terceiro tipo de “mercado cinza” , uma vez que é legal, mas não regulamentado, e provavelmente não intencional ou explicitamente autorizada pelos produtores de petróleo.
Mercados Cinzas são amplamente descritos e estimulados pelo Agorismo, embora muitas de suas atividades sejam consideradas crime em grande parte do mundo.
Venda de produtos em camelos não regulados pelo estado, ou sem licença são considerados práticas de mercados cinzas e são vistas pelos Agoristas como práticas legitimas em um livre-mercado.
Mercado Vermelho:
Mercados vermelhos são a práticas ilegais que por vezes podem significar serviços que violam a autonomia de uma pessoa ou significam iniciar agressões contra terceiros, os serviços de assassinatos são uma exemplo de mercado vermelho, Agoristas não praticam e se afastam de práticas como esta vendo-as como prática que foje do principio de prática consciente da contra-economia atravez de mercados negros, no entanto não são todos as práticas “vermelhas” que são vistas com aversão por Agoristas, a venda voluntária de orgãos por exemplo, uma vez que uma pessoa escolhe remover e vender voluntariamente orgãos ou até mesmo leite materno para suprir necessidades de outras pessoas não devem ser impedidas, deve ficar atento que venda voluntária de orgãos se dá pela escolha consciente do portador do orgão, o que é bem diferente do roubo ou tráfico de orgãos na qual o paciente é involuntariamente sedado e tem o orgão removido contra sua vontade, resume-se então que práticas vermelhas que envolvem coerção ou violência de qualquer espécie contra outras pessoas é repudiada por agoristas por não ser uma prática consciente da contra-economia e práticas vermelhas pacificas e voluntárias que beneficiara as duas partes ou o receptor mantendo o voluntário indiferente são bem-vindas pelo agorismo.
submitted by O-Pensador to AnarquismoBrasil [link] [comments]

What altcoin in your mind is the most interesting, stands out the most, or has the highest ceiling? Why?

I have invested in Bitcoin, Darkcoin, Blackcoin and minimally into Litecoin. What do you see as an up-and-comer?
Sorry for the terrible title
submitted by DrManBearPig to CryptoMarkets [link] [comments]

Atlas a liar, Duffield a scammer, Coinjoin broken, Darkcoin not anonymous?

I keep reading about this again and again and again and again. Right now after I linked the deepdotweb article, some guy (Nekomata, he loves another coin which claims pure anonymity.) on bitcointalk totally lost his mind and started calling Atlas a liar, Duffield a scammer and Darkcoin totally broken. If you guys came across such accusations, here are some arguments based on facts that could help you to turn the discussion to your favour.
Is Duffield a scammer? No! Darkcoin is one of the few coins with devs which do not hide behind new forum accounts or pseudonyms. He also keeps developing innovation which is of high value for all cryptos, including bitcoin. darkcoin.io/meetteam.html
Did Duffield create that instamine on purpose to rip us off? No! It's proven (and can be looked up at the blockchain anytime) that the instamine was fast and fairly distributed and not collected by the devs or other insiders. bitcointalk.org/index.php?topic=778616
Why is it closed source then? Will Duffield hack my computer? No! Darksend is closed source during the development phase to avoid publishing vulnerable code. Nobody is forced to use the closed RC-clients as there is a fully working open source version on github available. In addition, the source code will be release after careful security and code review on Sept/29/29014. github.com/darkcoinproject/darkcoin
Is Atlas a liar and Darkcoin pumper? No! Kristov Atlas is a well known privacy and security researcher who was one of the first guys proving coinjoin vulnerable. Saying he does not know what he does mainly shows people have no idea what they type. coinjoinsudoku.com/advisory
CoinJoin, as used in Darkcoin, does NOT bring full Anonymity!!1 No! The linked 3 pages PDF (outdated by 4 months of development by the way) is a joke. It concludes from "let's try", "very likely", "very likely", "very likely", to "strong evidence" and "it has been shown". This paper was at the time of writing (May/31/2014) not proving anything and is today not relevant anymore as the analysed code was removed from the darkcoin core client on Aug/13/2014 with RC4. For serious weaknesses in Darksend it's worth to look at the research by Atlas. darkcointalk.org/threads/reply-to-kristovs-paper.2325
But masternodes are centralized, FAIL!!!!11ß No! Masternodes are nodes connected via peer-to-peer-protocol and everyone is able to create his own masternode. That's pure decentralization by definition. A centralized node would be a single point of failure and could be taken down by an ISP, government, etc. That's not the case here though. wikipedia.org/wiki/Peer-to-peer
If you come across anything else, please let me know and we get the facts straight. With the upcoming source code release we should start cleaning up the fears, certainties and doubts.
submitted by vertoe to DRKCoin [link] [comments]

[Monday, June 2nd] Worldwide internet, climate change, and free cocaine — what could possibly go wrong?

/Worldnews

/TodayILearned

/Science

/AskReddit

/NotTheOnion

/Offbeat

/LOST

/Jokes

New subreddits!

submitted by krispykrackers to tldr [link] [comments]

Will work for blackcoin

THE U.S. DOLLAR IS A SHITCOIN and I don't want to use it anymore unless I have to
I will work for blackcoin...for a pre-negotiated rate of bc/hour, which is decided as a consensus between the contractee and I, and independently of current u.s. dollar value. IMO labor is one of the difficult things to acquire using digital currency, but I offer my labor in exchange for blackcoin. (CENTRAL VIRGINIA AREA)
I am young, and I don't have a degree, but regardless, HERE ARE JUST A FEW OF THE WAYS WHICH I CAN ADD VALUE TO THE WORLD:
If anyone you know needs mining tech support I am your guy If you have a sales position, I am your guy (selling food, cars, running a cash register at retail, whatever) Landscaping/gardening work (I used to work at a hydroponics store, maintaining a greenhouse, but not with actual weed it was all just vegetables and stuff because florida is not a medical state yet) but regardless, i know how to maintain a garden, and also how to grow food. Also, I can make decent beer for cheap, about 50 cents per craft beer, none of that store bought bullshit for $1.20+ per beer that stuff is crap Also, any type of promotion or whatever, I am a likeable guy =)
I have made it my lifes mission to eliminate the need to acquire and spend the dollar, and as a result, if there is any possible way i can get paid in crypto, or pay in crypto...I do it. Virtual currency is far superior, and I think blackcoin is far superiosrcompared to other cryptocurrencies including bitcoin. Unfortunately I still have to make a car payment, electric bill, and have to buy some food every now and then so the need to acquire and spend the u.s. dollar is not COMPLETELY eliminated but I am doing my best and really I have eliminated it mostly already. it has been tougher than I expected but the liberation is well worth it. (fuck you uncle sam, and fuck the federal reserve...) DISCLAIMER: I always make sure to pay my taxes because lucky for us in this country you can make a big old fuck you public shoutout to all the corrupt pricks who use this bullshit monetary system to enslave us as long as you pay your taxes they can not touch you =)
ANYWAY I will provide labor in exchange for blackcoin, bitcoin, darkcoin, or monero. IMO blackcoin and monero take the cake but i will gladly accept any of those 4. AGAIN...it will not be based on u.s. dollar exchange rate. THAT IS IRRELEVANT, WE KNOW OF A BETTER CURRENCY, you and i will have to come to a consensus on how many coins we think i should get for doing X amount of X type of work, then I give you quality labor, and you give me precious blackcoins =) NOM NOM NOM
submitted by parker928 to blackcoin [link] [comments]

X11 and other algo cloud hashing contract

{Wasn't sure if this is allowed, but I didnt see anything in the side bar, and I assume those interested in alternative currency markets may also be interested in mining some coins, and have flexibility over the mining of those coins.}
Cointersect, a Saint Louis, MO based altcoin mining company is selling annual hashing contracts using the x11 algorithm, with plans to add x13, x15, n-scrypt and mgroestl.
Our website is www.cointersect.com. We are located downtown, using professional racks, cooling, monitoring systems, and fiberoptic internet with redundancy.
We currently have about ~250 m/hs to sell. The pricing below is in USD, but we will accept Litecoin, Bitcoin, Darkcoin, or Bluecoin alongside cash or Paypal. I cannot find another company/website that currently offers x11 for annual contracts. If someone locates one, please post below!
Rates
We use the MiningRigRentals interface so you can login to control your miners, rent to other miners, speculate with different coins etc. We will provide you with your login information.
In addition to annual contracts, we will also do monthly contracts.
Rates
Again, we will give you access to a miningrigrentals account for you to go ahead and point your miners wherever you want them to be!
Please feel free to ask any questions.
submitted by lmaonade80 to CryptoMarkets [link] [comments]

The smoothest way to save all your block chain data on a different disk in Windows.

I've seen a lot of people ask about how they can save the block chain data on another disk than their C:\-drive. They usually get the answer to use -datadir , but this has a big drawback: You have to include the flag every time you open the client! Therefore I thought I'd write a little guide on how to set up a symbolic link in windows so that all your data are located at another disk without the client becoming confused. Here we go:
This will navigate you to the AppData folder.
This will create a symbolic link in the appdata folder by the name DarkCoin that will be pointing at the folder DarkCoin in your new location. Thus, if you or the client try to open DarkCoin in appdata you or it will see all the contents of the folder in your D:\-drive as if it never got moved, but it is in reality saved in your D:\-drive :)
I hope this little guide have been able to help a few people to save some of that precious SSD-space :)
edit: Format is a bitch, lol.
submitted by Darkcoins to DRKCoin [link] [comments]

[HIRING] Cryptocurrency/Altcoin developer

Looking for developer to help me with a cryptocurrency experiment.
Job requirements:
-knowledge of bitcoin/darkcoin source code
PM for further information.
submitted by henry_lee to Jobs4Bitcoins [link] [comments]

X11 and more Cloud Hashing Contracts

Want to mine a coin but don't wanna deal with the hardware? Cointersect, a Saint Louis, MO based altcoin mining company is selling annual hashing contracts using the x11 algorithm, with plans to add x13, x15, n-scrypt and myriad-groestl. If there is any interest in any of these other algorithms now, I will be happy to work with you. In addition, if there is interest in monthly mining contracts, I will also work with you.
Our website is www.cointersect.com. There are some pictures of standalone rigs as we also build them for clients and install them in their homes. Cointersect's main server is located downtown STL, using professional racks, cooling, monitoring systems, and fiberoptic internet with redundancy.
We currently have about ~250 m/hs and expanding to sell. The pricing below is in USD, but we will accept Litecoin, Bitcoin, Darkcoin, or Bluecoin alongside cash or Paypal. I cannot find another company/website that currently offers x11 for annual contracts, so I thought I would offer up my services.
Rates
We use the MiningRigRentals interface so you can login to control your miners, rent to other miners, speculate with different coins etc. We will provide you with your login information.
Please feel free to ask any questions.
submitted by lmaonade80 to CryptoCurrency [link] [comments]

Airbex-plorer: Blockchain explorer for Litecoin - livenet and testnet

Airbex-plorer is a multi-crypto blockchain explorer which supports Litecoin in livenet and testnet.
Based on Insight, it provides services to find informations about addresses, transactions, blocks etc ... Airbex-plorer is also available for Bitcoin, Darkcoin and Dogecoin.
Livenet: https://airbex.net/explorelitecoin/
Testnet: https://demo.airbex.net/explorelitecoin/
submitted by fredairbex to litecoin [link] [comments]

X11 Cloud Hashing Contracts

Cointersect, a Saint Louis, MO based altcoin mining company is selling annual hashing contracts using the x11 algorithm, with plans to add x13, x15, n-scrypt and myriad-groestl. If there is any interest in any of these other algorithms now, I will be happy to work with you. In addition, if there is interest in monthly mining contracts, I will also work with you.
Our website is www.cointersect.com. There are some pictures of standalone rigs as we also build them for clients and install them in their homes. Cointersect's main server is located downtown STL, using professional racks, cooling, monitoring systems, and fiberoptic internet with redundancy.
We currently have about ~250 m/hs and expanding to sell. The pricing below is in USD, but we will accept Litecoin, Bitcoin, Darkcoin, or Bluecoin alongside cash or Paypal. I cannot find another company/website that currently offers x11 for annual contracts, so I thought I would offer up my services.
Rates
16 m/hs — $2,000/year
20 m/hs — $2,400/year
40 m/hs — $4,600/year
80 m/hs — $9,000/year
We use the MiningRigRentals interface so you can login to control your miners, rent to other miners, speculate with different coins etc. We will provide you with your login information.
In addition to annual contracts, we will also do monthly contracts.
Rates
16 m/hs — $200
20 m/hs — $240
40 m/hs — $450
80 m/hs — $800
Again, we will give you access to a miningrigrentals account for you to go ahead and point your miners wherever you want them to be!
Please feel free to ask any questions.
submitted by lmaonade80 to altcoinmining [link] [comments]

DarkCoin Paper Wallet - New and original design Bitcoin Mining - GMOD DarkRP (How To Set Up and Start ... Buy bitcoin, litecoin and darkcoin now on Cointopay.com Bitcoins Litecoin Darkcoin Dogecoin Gratis Tutorial Rena Faucet Gana DarkCoin

So what is Darkcoin ? Darkcoin is like a digital version of cash – you choose whether your transactions are private or public. Just like Bitcoins, Darkcoins are stored inside a digital wallet. But Darkcoin wallets allow you to stay private even when trading at exchanges or other 3rd parties. Darkcoin has appeared with the promise of solving the problem of complete anonymity; nevertheless it is going to attract users with nefarious intentions. Darkcoin is already being accepted throughout major online black marketplaces operating on the dark. Unlike bitcoin, it comes with anonymous features and faster transactions. Situs ini aktif setiap waktu atau selama 24 jam penuh serta memiliki pelayanan yang baik hingga memiliki sistem pembayaran yang beragam bisa menggunakan kartu kredit VISA / MasterCard, Transfer Bank, Bitcoin, Darkcoin, Litecoin, dan Dogecoin. Baca juga : Mendapatkan Bitcoin Gratis dari 4 Situs Web Terpercaya Ini! Hier sollte eine Beschreibung angezeigt werden, diese Seite lässt dies jedoch nicht zu. About BitcoinDark. BitcoinDark price today is $16.23 USD with a 24-hour trading volume of not available. BitcoinDark has no change in the last 24 hours. The current CoinMarketCap ranking is #4811, with a market cap of not available.

[index] [31288] [36521] [15717] [34033] [3482] [32983] [35726] [20059] [39404] [26283]

DarkCoin Paper Wallet - New and original design

How To Bitcoin - GMOD DarkRP (How To Set Up and Start Bitcoin Mining and Building Base) in dark RP there's a few things that make you a lot of money and bitc... Quickly buy bitcoin on Cointopay howto, pay via IDEAL (NL), MRCASH (BE), GIROPAY (DE), WIRE TRANSFER or SEPA and many more options available to buy your crypto coin of choice. Movie made with ezvid. In this episode of the Keiser Report, Max Keiser and Stacy Herbert discuss bitcoin converts and the dual risk of deflation and inflation for holders of euros... DarkCoin aims to be the first privacy-centric cryptographic currency with fully encrypted transactions and anonymous block transactions. These features are a work on progress and will be released ... DarkCoin is an innovative new cryptocurrency, it needed something better than a regular paper wallet. I will be making a few more of these for Bitcoin, DogeCoin and various others by request!

#